Single's

by Niggaz

/
  • Streaming + Download

     

1.
2.
3.
02:59
4.
5.
6.
7.
8.
03:00

about

Single's

credits

released January 8, 2011

tags

license

all rights reserved

about

Niggaz Brazil

Dois irmãos e um sonho...

contact / help

Contact Niggaz

Streaming and
Download help

Track Name: Sexta Feira 13 (Part. G.A.L.F)
Niggaz - Sexta Feira 13
Part. G.A.L.F
Prod. Jumar Paralelo
---------------------------------
Letra:

| Diego 157 |

Hoje sonhos são pesadelos, medos não ouvem apelos
Vim pelos mesmos a esmo vou a caça dispenso zelos
Por vielas e becos o enredo sem toque de Hitchock
Tem glock, tem mãe em choque, sem censura pro enfoque
É um halloween, sem fim e a bruxa sorri
Acena, faz cena e eu vi dezenas cair
Os jogos são mortais pra rivais e desleais
São cruciais e os finais são fatais e reais

| G.A.L.F |

Do útero ao túmulo a arte da vida ao podre sepulcro
Escuto vozes, vejo vultos vagando no obscuro
Profundo será o crepúsculo da noite engolindo o dia
Humanos imploram pelo ar que exterminou com ogivas
Sem pilha aqui na terra é cada um na tora
Quem não mexe com vodoo no jogo místico da outrora
Se bóia, nem Charles Manson aguentaria
Na frente da legião os guetos e as periferias

| Man-duim |

O pesadelo é real versão made in Bahia
Vim para o massacre na ilha da fantasia
Dia 13 sexta feira onde a sorte não existe
O chamado, o grito pra mais final triste
A psicose toma conta, a morte pede carona
Michael Myers se delicia sentado na poltrona
Enquanto os vermes querem atuar de protagonista
Preparem a água benta pois lá vem o exorcista

| G.A.L.F |

Se contagia com o adianto que é sagaz
Vadia, grana, orgia se prendeu na Alcatraz
O monstro do lago Nessie sabe é fictício
Os monstros mesmo andam aqui portando 765
Latrocínio, chacina, morte, pedofília
Me diz se não estamos vivendo a apostasia
Mentiras, magias, magos ilusionistas
Blin, blin, caiu a ficha vi demônios com batina

| Man-duim |

Os inocentes estão em silencio os demônios estão a solta
O extermínio é pra ver quem vai gerenciar a boca
Pague para entra reze para sair
O sangue escorre nas vielas pior que no Haiti
Enfim , se deliciam se servindo com banquete
No albergue a próxima vitima é com estilete
São cenas reais para o sistema moderno
Acenda uma vela e vai tomar um drink no inferno

| Diego 157 |

O clima é tenso, a cena é triste e o moleque com dedo em riste
Contraria a alegria como a escrita de Agatha Christie
Vários Chucky, Emile Rose e afins completam a noite
E morto vivo com cachimbo se dirigindo ao açoite
Sinos a meia noite regem o caos em sinfonia
causam fobia alma vazia sem sintonia
Gato preto mia a rua é sombria não é brincadeira
Queira ou não queira hoje é 13 e é sexta feira

Refrão:

Na Bruxa, monstros a solta na captura
O Halloween aqui é bolado você quer doce ou travessura?
O Cine trash tem Rap proibido pra menores
Quer comédia? Romance? Chore! (2x)
Track Name: A soma do que somos (Part. Daganja)
Niggaz Vs Daganja

A soma do que somos
Prod. Diego 157
Trumpete: Ras Elias
Foto: Fernando Gomes (www.flickr.com/fernandogomes)

Diego 157

O que fez por onde, o que não se esconde
Fecho com os ideais do bonde
Derrubo muro sou ponte e sigo adiante
Pro alto e avante é que marcha o levante
Se garante e ande vamo gang o bang é pra ontem
Depois do Rec na track que os Forrest Gump contem
Aqui o jogo é pra homem e meninos somem sem vez
Ei, vai lá que tem vaga no play
Risca dj, e põe a casa no ritmo
Mic check e o Boom Bap é legítimo
Sou o que não queriam que eu fosse
Enraízado e original a real é o que trouxe
Oxe, quem não entende passa mal
Descartei falsos reis e trampei o essencial
O salve Geral é amor e respeito
Pelo que se quer, pela música, a mulher e o gueto

Daganja

Maloqueiro da levada embaçada
Na rua pra alguns eu sei que trago ameaça
E longe dos moleque que se passa
Nada de pirraça, nada vem de graça
Como a trupe comandada que não ganha nada
Mas vive nessa macabra a espera de um abracadabra
Protesto que você relata só rindo com essas piadas
Traíra não é só nas águas se liga com quem se embala
Quem te fala, quem te abraça, quem também não te diz nada
Mas anda de olho na trilha que você traça
Se um dia é o caçador no outro é a caça
Mesmo assim resolvo minhas paradas sem arma
Com alma, na calma, sem falha, sem trauma
Pra cada mancada a cobrança é dobrada
Respeito começa em casa pra toda jogada
E pra cada passo com os caras que não da falha

Man-duim

Sou mais que um simples verso
Sou a voz do rap e seu universo
Vem que mostro a essência
O espírito Bambaataa em ascendência
Irmandade a parte segue a plêiade
Militantes reais sem falsidade
Sou o amor, o ódio, a esperança, a virtude
A Cria Rebelde que não se ilude
Sou a voz de Gandhi que pedia paz na terra
O manual de guerrilheiro escrito por Mariguella
O sonho narrado por Martin Luther king
A conquista de Muhhamad em cima do ringue
Sou a foice e o martelo contra o sistema capitalista
O ato de amor no atentado terrorista
A rima que você nega em suas letras
A fúria que se expressa com papel e uma caneta
Track Name: Pra Ser Real
Pra ser real

Sigo rimando mesmo pisando em brasas vivas
Querem corromper o meu sentimento altruísta
Se eu sou real no verso eu acompanho a velha escola
Faço da minha a nova sempre na mesma trajetória
Quem ta comigo defende a mesma ideologia
O rap neguin não é só ritmo e poesia
É a virtude expressada o amor pela quebrada
E o respeito pra quem está na mesma caminhada
É documentar o sofrimento mostrando a saída
E ter postura para se esquivar das armadilhas
Mas tem que ser verdadeiro nos verso que defende
E não se intimidar se o inimigo lhe ofende
Pois cada passo que dou finco a minha postura
Eu quero é ser inspiração para a geração futura
Como leão defendo o meu território
Não sou dono da verdade e nunca fui contraditório
O que eles querem é ta de role sangue bom
Com vadia na festa pagando de patrão
Por isso sente que é quente o que eu transmito pros irmãos
O que eu vejo é mc iludindo mais que televisão
Volta a real e sente a essência que nasceu na rua
E só quem vive ela sabe onde se atua
Dou vida a cada sentimento que transmito
Veste a carapuça cumpadi e sente o baque desse manuscrito

Refrão

Irmão eu vim pra ser real sem me importar com o amanhã
Pra honrar o que falar juntamente ao meu clan
Pra quê mentir, fingir e trair o que é de raiz?
A Contraparte da arte em verdade é Niggaz neguin

Sou A Cria rebelde, doa a quem doer
Sou Bambaataa, sou gueto, luto pelo novo amanhecer
Sou um tiro a queima roupa no peito dos que se dizem parceiro
Que muda o discurso quando vê o dinheiro
Vai popiando vai pra ser aceito pelos boys
Enquanto isso eu vou conquistando respeito entre nós
Se eu to no jogo? Sim! Mas sei qual é a minha missão
Articulação, ação, reparação força de intervenção
Vivo cada momento e dele faço meu papel
Rascunhos que a vida oferece narrativa fiel
E entre becos, vielas, busco sentido pra vida
Fortaleço a integridade pra ela não ser corrompida
O hip-hop é luta, manifesto, creio nisso parceiro
Sigo a essência dele e dele sou mais um herdeiro
Vários em combate andam de mãos dadas com o inimigo
Falsos profetas com o mic em punho, cadê o compromisso
Fazem rap sempre na primeira pessoa do singular
Vitória nem sempre o que se pode conquistar
Tem que honrar, representar, para ter o seu valor
E dá o máximo de vida em cada verso que compor
Mas deixa eles ir, a fama acaba num segundo
Eu quero meu verso é no coração de cada vagabundo
Que sabe que comigo não tem cerimônia
E pros pose de plantão esse rap é uma afronta

Refrão

Irmão eu vim pra ser real sem me importar com o amanhã
Pra honrar o que falar juntamente ao meu clan
Pra quê mentir, fingir e trair o que é de raiz?
A Contraparte da arte em verdade é Niggaz neguin
Track Name: Conforme o Script
Niggaz - Conforme o Script

Lágrima cai e a cena se repete outra vez
E os acontecimentos, nada cortês
Pergunta-se porque que sempre eu sou o personagem?
Sem direito a dublê na real longa metragem?

Filme triste onde os semelhantes não se entendem
Não se falam, se distanciam, se ofendem
Tô de camarote vip na entrega do Oscar pelo filme do ano
Choro, ao ver que a nossa miséria enriquece fulano

Destaque pra cena fria sem condecoração honrosa
Queria acreditar que a vida era uma mar de rosas
Só que é foda, de novo os homens vem incomoda
Destroem as flores e exalam pelo ar o odor de pólvora

Nossa, dessa vez foi muita humilhação
Tapa na cara, preconceito, desmoralização
Então, como é que eu posso não expor os fatos
Mesclo fraternidade e revolta em meus relatos

Me chateia ver ao que a mulher foi submetida
O pagode a trata como objeto e ainda assim ela vibra
E agora? Será que a nossa luta foi por nada?
Será que foram em vão minhas escritas na madrugada?

Que nada nem posso viajar nessa idéia
Mas fazer o quê? Ta no roteiro da odisséia
Como servo fiel vejo os irmãos se matando com os olhos vendados
Nós contra nós, peraí ta tudo errado

Quem foi que disse que ser preto é maldição?
Quem nomeou os parmalat a ser chefão?
Quem me exilou distante dos centros urbanos?
Isso é trairagem arte dos arianos

Se quer me ver na lama desculpa aí a decepção
Não vim dar sangue ao inimigo escolhi outra opção
E Você? Por quê que ainda aceita ser escravo?
Está submetido ao banzo e não quer ser libertado

Nenhuma, vou dar um grau no som e ir ao desconhecido
Viajar em poesia e escrever em prol dos amigos
Aqueles que tem problema em casa e os que não arrumaram um trampo
Os que não se libertaram do vício e os que ainda estão marchando

Vamo que vamo, se precisar já ta ligado
Só não esquece que a sinceridade fortalece os nossos laços
Niggaz lado a lado tô com você soldado
É só chegar, trincar, mostrar pra que foi acionado
Track Name: Sem Cortes (Part. Victor Duarte)
Sem Cortes

Diego 157

Canto a verdade, despida de maneira explícita
Vim pra incitar os rebeldes da causa ilícita
E citar que maquiar não vai virar
E as máscaras ácaras vão ruir pode apostar rapá
Marionetes moldadas por simples manuseio
Desmerecem a corrida, brinca e no jogo joga feio
Ô seus pau no c* não é “eu quero dinheiro” não
Vocês vão morrer como pidão se dizendo evolução
Né não? Pare e reflita
Enquanto isso narro a vida dos meus em palafitas
E a cena é forte sem corte proibida para menores
Dublê? Hãn Hãn, quem atua é real e sofre
No corre, os nossos morrem sem holofotes
Como indigentes por representar ameaça aos cofres
Os dólares não vão me iludir nem pôr em atalho falho
Eu vim pra dar trabalho e pra tirar o sono dos otários

Man-duim

Narrativa fiel, sem corte e sem maquiagem
Pois transmito sentimento, vida e verdade
Não vou moldar minha ideologia pra agradar a meia dúzia
Os seus blin blin, nunca irá comprar minha postura
Ai boy, meu som não é pra você fique sabendo
É pra quem quer a chave para sair desse sofrimento
Cada manifesto retrata minha ideologia
Só quem é da rua entende e admira a minha poesia
Estou aqui pra servir de porta voz
Pra quem não tem voz e é perseguido pelo algoz
Se enganou se pensou que era som pra pista
Espírito Black panther com atitude terrorista
O ativista aqui irmão não se entrega ao jogo
Fortalece a caminhada e na babilônia toca fogo
Se for pra viver apenas por fama e por dinheiro
Prefiro morrer no anonimato sendo verdadeiro
Track Name: Quando Escrevo Vida (Part. Spok)
Quando Escrevo Vida

Spok

Ponho o meu fone busco um beat bom, escrevo os louco curte o som
Põe a imaginação em transe e vôo longe tipo a TAM
A tarde, a noite ou de manhã, com sol ou chuva na janela
A melhor vista na favela e nem preciso ver novela
Falo dos meus sentimentos, uso e abuso os pensamentos
Pra trazer tudo de dentro desfrutando dos momentos
Picho monumentos o som invade apartamentos
O bom está sempre colhendo o que semeamos a tempo
É tipo pertencer a Classe A, pôr minha alma pra dançar
Dá minha vida pela rima e dessa fonte saciar
Buscando sempre encontrar algo que me leve ao cume
Descrever as minhas virtudes, traduzi-las ao cantar
Estar em outro patamar do Brasil ao Panamá
Da Bahia ao Paraná, do Pelô ao Calabar
Muita história pra contar, muita terra para arar
Muita estrada para andar, muito amor pra se doar
Para se representar tudo o que foi dito
Traduzir os objetivos para adjetivos conquistar
Pelo rap me empenhar descrevendo a vida
Cada frase cada rima viva tenho que eternizar

Diego 157

Quando escrevo descrevo o que vejo, o que vivo, o que sinto
Não minto, transmito meu mundo lírico e onírico
E o enredo tem sonho, o que componho, amor e intriga
Tem família, minha matilha e vitória depois de briga
O que me obriga a ser fiel e honrar todo percurso
Como um rio viu fio?Eu mantenho-me em curso
Pra quem sabe eu espelhar e inspirar novos frutos
Maduros, com cântico robusto, inteligente e bruto
Por isso luto e valorizo o rascunho
Pra virar, pra trincar depois da máster no estúdio
Vagabundo represento a rua nua sem disfarce
Sem miragem, sem viagem e sem maquiagem na face
O gueto age e com classe compõe as frases
Ultrapassamos fases acompanhados de boa base
Só kamikaze no front fazendo jus a gang
Do San Kate a Cbx pro subúrbio se envolve sangue
É o bang, 157 Nervoso
Pros amantes nos falantes nós aprontamos de novo
E que a caneta falhe e atrapalhe pra eu recuar
Só que vou ecoar o grito das massas em língua popular
Pra incomodar, ... segue o script
Levada monstra que assombra e Classe A o beat
Acredite minha obra prima é rima destemida
E elucida a vida quando escrevo vida na pista
Track Name: Temporal
Temporal

Diego 157

Vendaval de idéia o gueto em epopéia se faz vivo
Se o meu pulso pulsa a carapuça veste o inativo
O tempo fechou e a nuvem negra veio do norte nordeste
Trovejando rugido bandido lapido o espírito
seguimento Black Panther no sampler milito
Recito e emito o dito maldito em negrito
Viva a Malcolm, viva a Che, viva ao rei Zumbi
Capitão Lamarca, Marighella, Pedrinho, Praga e Davi
Vim pra reconstruir a idéia do Rap que conheci
Como os Sem Terra, ocupar, resistir e produzir!
Sem se rastejar e sem se humilhar com quem não soma
Se é rap bom que você quer mané, então toma!
Nego diz que é pró e nem tem a responsa de amador
Querem isso e aquilo, eu Só quero mais amor
Mas compromisso como o Sabota cantou, dispor
Castigo para o feitor e mérito ao transformador

Refrão

Se for chover pede pra cair chuva de benção
Se não chover querem promover sua sentença
Se o temporal cai, fé traz experiência
Hip Hop faz quem se locomove quem representa


Man-duim

Que caia o temporal e me traga experiência
E façam dos meus versos manuais de sobrevivência
Não quero ser o melhor só me expressar com inteligência
Pois é das ruas que vem toda minha essência
Eu peço benção para aqueles que estão envolvidos
E os que estão comigo e aqueles que correm perigo tamo unido
Seguindo compromisso o que aprendi com os antigos
Pra hoje ser ativista e expressar meu raciocínio
É preciso ter amor pra conquistar seu espaço
Mas é preciso ser gang pra não morrer afogado
Olho pro lado e não vejo quem que vai se salvar
E se essa porra ta perdida sei que posso mudar
E nessa minha odisséia irmão vou progredir
E sei que não estou só e aqui tem vários por mim
Dou maior valor a cada sentimento declamado
Mas sentencio os que não honram o sangue derramado

Refrão

Se for chover pede pra cair chuva de benção
Se não chover querem promover sua sentença
Se o temporal cai, fé traz experiência
Hip Hop faz quem se locomove quem representa